avatar

Gisele Medeiros @thebravenewlife profile

@thebravenewlife

Nossas descobertas para uma vida mais simples, criativa e feliz. https://thebravenewlife.com/

https://linktr.ee/thebravenewlife

Something like this

Gisele Medeiros @thebravenewlife 's stories:

B5UmZ9mBAdz Uma parte super importante de colocar os sonhos em prática é saber vender bem os projetos. Não sei você, mas eu já passei diversas vezes pela situação de ter trabalhado meses em algo, e na hora de explicar minhas ideias pra alguém a coisa sair toda atrapalhada e sem sentido. 🤦🏼‍♀️Quem nunca? . Pensando nisso é que criei este material. Ele tem tudo a ver com o primeiro curso (A Vida que eu Pedi a Deus) porque ajuda na clareza e comunicação das ideias e projetos. . Serve pra apresentação no trabalho (chefe vai ficar assim 😳👏🏻), na faculdade e até pra se expressar melhor em reuniões com pequenos grupos. . Dá uma olhada nos links complementares da bio pra saber mais. 👆🏻E bora levar esses projetos pra passear no mundo real. 🎤👊🏻 . . . #oratoria #apresentação #pitchperfect #pitch #pitchdevendas #comunicacao #projetos #productivity #produtividade #ebook #cursoonline #avidaqueeupediadeus

85

1

B5NDeOBBbTk Quase ninguém pensa em envelhecer. Mas a outra alternativa é morrer jovem, o que também não interessa à maioria. Então vamos lá. 👊🏻 Com vinte e poucos anos li “A Velhice” de Simone de Beauvoir e isso mudou a minha forma de ver o mundo. “Velho é o outro”, como ela dizia, nunca nos imaginamos lá. Mas essa semana, ouvindo o professor Alexandre Kalache falar sobre o tema me emocionei várias vezes. Ele é fantástico, sensacional, hipnotizante aos 74 anos. ⠀ Todo mundo já ouviu falar que estamos vivendo mais. Mas talvez não tenhamos percebido que esta é uma verdadeira revolução, que vai mudar a forma como vivemos nossas vidas. Nos últimos 15 anos a expectativa de vida ao nascer do brasileiro cresceu mais de 5 anos - a mesma quantidade de anos que crescemos do Império Romano até 1900. A França levou 145 anos para dobrar a proporção de idosos, de 10% para 20%. O Brasil vai fazê-lo em 19 anos. E nem preciso dizer que a França fez isso com todo um conjunto estado da arte em termos de serviços sociais a oferecer para sua população. Em 2050 1/3 da população do Brasil será idosa. Incluindo eu (e possivelmente) você. ⠀ Mas será que estamos preparados para viver tantos anos de vida a mais que valham a pena? ⠀ Os países desenvolvidos tornaram-se ricos antes de envelhecer. O Brasil tem 50 milhões de pessoas no desemprego e informalidade. Sem qualquer tipo de proteção social. Os brasileiros pobres levarão 9 gerações para alcançar a renda média. 55% das crianças entre 8 e 9 anos não estão alfabetizadas. 10% dos nossos melhores alunos têm o mesmo desempenho dos 10% piores do Vietnã. 62% das mulheres negras e pardas não tem carteira de trabalho assinada no setor privado. É assustador. ⠀ Envelhecer bem não é só uma questão biológica, de genes. Eles contribuem com 25% deste pacote. Duas pessoas com a mesma idade terão experiências de vida e saúde bem diferentes conforme seu curso de vida. ⠀ Finalzinho nos comentários 👇🏻

22

8

@thebravenewlife 3 weeks ago

B42NufAhVTA 11 anos desse chamego que só faz bem. Amo essa minha metade mais doce da laranja. Obrigada por dividir a vida comigo. Amo você ❤️ @Giu Vicente

95

5

@thebravenewlife 3 weeks ago

B4zKv57BG7F Resiliência é uma palavra da moda. O sentido pode ter se perdido um pouco pelo caminho, mas ela é na verdade um conceito da física - a propriedade dos corpos de retornarem à forma original depois de uma deformação elástica. Com o tanto de lambadas que a vida dá ela acaba casando bem, ainda que pareça que muitas vezes a estamos usando de uma maneira um pouco cruel. ⠀ A cilada é quando justificamos metas absurdas, capacidades de super herói ou demandas desumanas sob a ótica do exercício da resiliência. Que aliás não é algo que se tem ou não tem. É um processo, um momento, uma resposta a uma determinada situação, num determinado tempo da gente nessa vida. Podemos mostrar ela ou não quando confrontados pela mesma situação, mas em momentos diferentes. ⠀ Se pensarmos lá na física seria como amassar uma bolinha de borracha. A gente aperta a pobre na mão, ela se comprime toda, mas assim que a pressão cessa a bolinha volta a ser exatamente como era, e sai rolando faceira como se nada tivesse acontecido. A gente é beeem diferente disso, né não? Estamos mais para uma bolinha de massa de modelar. Quando algo ou alguém aperta, a gente deforma e é preciso modelar de novo. E ainda que a gente consiga “rolar” novamente, não será mais como antes. Ganhamos novas formas, ficamos com marcas, mas - mais importante de tudo - aprendemos, nos transformamos. ⠀ Aprender com a experiência - da pressão, da lambada, ou do que quer que nos exija resiliência - é o que importa. É o que nos faz humanos, e até “bolinhas mais interessantes”. Que rolam melhor. Da próxima vez que alguém mandar uma “resiliência” pra você, dê um "pera um pouquinho" antes de sair alucinando. Pense que estamos mais pra massinha do que pra borracha, e que portanto estamos aí pra reconstruir, pra remodelar e aprender com isso. ⠀ Boa resiliência pra você! ⠀ Reflexões da aula de Pilares da Psicologia Positiva com Silvia Koller.

31

4

@thebravenewlife 4 weeks ago

B4jpJ6zBwFF Já fazia um tempo que não escrevia para a minha menina. Essa semana sozinha com meus dois filhotes renderam muitas conversas enroladas no cobertor. Aí está mais um pedacinho das coisas que quero lembrar de dizer a ela. Sobre ser boa companhia. 👉🏻 Link na bio 😍.

61

1

@thebravenewlife 4 weeks ago

B4iQh3YALxs Outro dia escutei o audiobook Learned Optimism do Seligman, somente para confirmar (agora cientificamente) que sou super pessimista. Nada novo por aqui. Sempre imagino os piores cenários, e quanto mais querida me é a pessoa, mais terrível o mal imaginado se ela está, por exemplo, 5 minutos atrasada. Bom, o Seligman também é, e segundo ele “somente os pessimistas são capazes de escrever livros sensatos e práticos sobre o otimismo”. Faz sentido. ⠀ Pois bem. O livro mostra porque quem é otimista realiza mais e de quebra tem melhor saúde. Basicamente porque pensar positivo nos leva a ação (que na verdade tem mais a ver com esperança, mas enfim). Quando achamos que algo tem boas chances de dar certo movemos esforços para chegar lá. Tentamos de novo, argumentamos, fazemos a nossa parte. Quando esperamos o pior desistimos antes mesmo de começar. Além, é claro, de sofrer desnecessariamente por um monte de catástrofes que só aconteceram na nossa cabeça (eu na vida). ⠀ Isso é bem diferente da imprudência. Por exemplo, beber todas e achar que vai dar tudo certo se for dirigindo pra casa. Este tipo de coisa cruzou a linha do otimismo em alguns kms. Se você, assim como eu, está numa jornada por mudar aquilo que não faz bem, dá uma olhada nas 3 características do otimismo, que segundo Seligman podem ser aprendidas por qualquer pessoa, em qualquer momento da vida: ⠀ 1. Permanência: os otimistas acreditam que os eventos ruins são temporários, não definitivos. Ex.: “Eu nunca mais vou conseguir um emprego tão bom assim” x “Uma melhor oportunidade pode estar me esperando”. ⠀ 2. Pervasividade: pessimistas assumem que o fracasso em uma área da vida significa fracasso na vida como um todo. Ex: “Sem emprego com certeza perdi também os amigos e o casamento já já vai pro brejo”. x “Ainda bem que tenho muitos amigos e um parceiro pra me apoiar nessa hora”. ⠀ 3. Personalização: os otimistas culpam os eventos ruins por causas fora de si mesmos, enquanto os pessimistas se culpam por tudo que acontece. Ex.: “Eu sou mesmo um incompetente” x “A empresa está passando por uma crise”. Alerta aqui para o cuidado no exagero em fugir da responsabilidade. ⠀ Finalzimm nos comentários 👇🏻

22

8

@thebravenewlife 1 month ago

B4ZaPLVh1j5 Essa sequência é sempre uma bagunça rsrsr . . . 📸 @ericktex #fotodefamilia #loveisamess @Giu Vicente

143

9

@thebravenewlife 1 month ago

B4XQHEWBuiv A minha primeira chefe era alguém que parecia já ter nascido com um “quê” de alguma coisa diferente dos outros mortais. Ela era elegante, sem chamar atenção, sem esforço. O que é, afinal, literalmente o significado de elegância. ⠀ Há pouco tempo aprendi um outro nome pra isso: sprezzatura. É uma expressão italiana pra descrever a minha chefe. Beleza, refinamento, educação, compostura, simpatia. Tudo isso vindo naturalmente, cheio de graça. Sem a aparência de quem está lutando para ser assim. ⠀ Tem tudo a ver com a nossa pequena ética e os códigos que usamos sem perceber e que nos ajudam pela vida. Receber com um sorriso, estender a mão, esperar que o outro termine de falar, são, por exemplo, formas de mandar mensagens ao outro. De evitar choques. ⠀ Etiqueta não é saber utilizar o copo correto ou o garfo adequado (isso às vezes é frescura), mas deixar o outro confortável. É mais importante respeitar o outro do que afirmar a nossa vontade. Na ânsia de ter razão (ou com a desculpa de ensinar alguém) acabamos colocando nosso ponto de vista mesmo quando ninguémzitos nos perguntou. ⠀ Imagine uma cena onde corrigimos alguém durante uma reunião. Alguém que usou uma palavra da forma errada, por exemplo. A intenção foi boa (😇), claro, ainda que de certa forma melhor pra gente, já que ficamos bem na foto. Mas, apesar de ensinar algo, o deixamos num lugar de desconforto, de vulnerabilidade. Você pode pensar que o problema é dele, e que houve falta de humildade para aprender. Será mesmo? (😏) Deixá-lo à vontade naquele momento não teria sido ainda mais nobre? Ele não aprenderia a partir do nosso exemplo, da sutileza com que usamos essa determinada palavra? E o mais importante, além da palavra (que importava pouco afinal) não o teríamos mostrado algo mais bacana como generosidade, compaixão e outras coisitas más? ⠀ É tipo a frase de parachoque “eu quero ser feliz, não quero ter razão” repaginada para “eu quero fazer o outro feliz, e é sério mesmo!”. Pra hoje eu desejo elegância pra além (mas também) da roupa e dos modos. Desejo um tanto mais de sprezzatura nesse nosso mundão! Bom findi! ⠀ ⠀ Reflexões da aula Poder da Gratidão com professor @leandro_karnal.

30

8

@thebravenewlife 1 month ago

B4R-cPZhKO5 Happy Halloween 🎃 @Giu Vicente

91

1

@thebravenewlife 1 month ago

B4QLBHNhjkp Hoje terminei um módulo lindo da pós, sobre o perdão. Nunca tinha pensado muito sobre o assunto e graças a Deus tenho tão pouco a perdoar. Ainda assim, sei que sou osso duro de roer. Parece tão mais fácil pedir desculpas (fazemos isso o tempo todo, mesmo quando sabemos estar fazendo algo bom “desculpe aí se a comida não está boa”) do que se livrar da raiva e do ressentimento causado por alguém. A injustiça dói. ⠀ A questão é que perdoar não é esquecer (isso é amnésia). Também não é necessariamente um presente ao outro (ainda que cause um alívio danado). O perdão é para si mesmo. Pra se livrar da dor. É a única coisa que verdadeiramente nos liberta do agressor. É o que nos tira do papel de vítimas da história que nos contamos tantas vezes e nos faz heróis. Não é negar o sentimento, não é topar se reconciliar, não é desistir da justiça, nem mesmo evitar a pessoa que nos fez o mal. É de fato trocar o sofrimento pela paz cada vez que a memória do que aconteceu nos vem. ⠀⠀ Nós somos seres ruminantes. Ou seja, pensamos sem parar no que nos incomoda. Ressentir é sentir de novo. Sofrer aquela coisa ruim novamente. Não é à toa que comparam o ressentimento com um veneno. Quando estamos com raiva estamos ativos, nossos instintos mais primitivos liberam cortisol e nos preparam pra luta, e esse excesso inflama o nosso corpo. Sentimos na pele, adoecemos. ⠀ Perdoar com condições (se ele se arrepender, se pedir perdão, se me recompensar de tal forma, se sofrer como eu) devolve o poder a quem nos oprime. Está nas mãos dele novamente nos livrar da dor. Perdão é um processo, começa com um desejo consciente de perdoar, e segue por muito tempo tratando das feridas. Como disse Gandhi “o perdão é a característica do forte”. ⠀ Tem uma analogia do autor Fred Luskin que achei super interessante. Imagine um radar que mostra o espaço aéreo cheio de aviões tentando pousar. O céu está completamente lotado, caótico e você é o controlador de vôo. Cada avião representa uma mágoa, um avião que voa (rumina) sobre a sua cabeça por anos, sem conseguir pousar. Você gasta uma energia danada tentando fazer com que eles não se choquem. Cada perdão é um avião que pousa. ⠀ Finalzinho nos comentários 👇🏻

28

6

@thebravenewlife 1 month ago

B37GNfmBWPQ Sim, Amsterdam é um espetáculo, mas somos mais frequentemente encantados com o interior, com o charme de cidades que parecem feitas de casinhas de boneca 😍. Neste post resumi as cidades que mais gostamos e recomendamos pra quem vem passar uns dias por aqui. Dá uma olhada no link da bio pra deixar algumas anotadas desde já na sua bucket list 🐄🌷🧀👌🏻

46

3

@thebravenewlife 1 month ago

B34UexYBbYj Quando eu estava na sexta série tirei uma nota muito baixa em matemática. Algo na casa dos 3,0 que fez a minha média geral ir para 6,7 ou algo assim. Eu estava “em recuperação”, nem sei se isso ainda existe e provavelmente ninguém mais a chama assim (rsrsr). Pra mim, na época, estava mais para “cavando a minha cova” do que para alguém em estado de recuperação. Eu escrevi uma carta para o meu pai, coloquei na caixinha do correio de casa e fiquei embaixo da mesa da sala esperando a reação. Parecia um bilhete suicida 😅. ⠀ Essa semana lembrei desse dia. O meu boletim foi lindo por anos, e mesmo aquele fatídico estava recheado de notas 9 e 10. Nem por um segundo me ocorreu a ideia de comemorar alguma delas. Era aquela, vermelha e sangrenta, que acabava comigo. Fazemos um teste de forças, por exemplo, e depois de olhar as duas primeiras corremos logo para as últimas para ver no que somos terríveis. E o mais impressionante é que fazemos uma cara de “ahá, eu sabia” mais vivo para as últimas do que de alegria para as primeiras (ah tá, eu sou bom nisso, e quem não é? 😒). ⠀ O vias negativo é a primeira coisa que vem a nossa cabeça, vem fácil. Esforço é preciso quando a gente tem que buscar o lado positivo das coisas. Num feedback deletamos todas as coisas boas que falaram sobre nós assim que aquelas “áreas de desenvolvimento” aparecem como uma facada nas costas. Como alguém pode pensar algo assim tão terrível da gente? Além de ouvir palavras que nos parecem duras demais, acrescentamos várias outras que achamos ter ouvido nas entrelinhas. ⠀ Olhar para o que está dando certo, ou para o que já deu por anos e anos, exige algum esforço, intencionalidade. Pedimos por saúde sem de fato sermos gratos por tantos anos e anos em que o corpo esteve são. O desejo por ter alguém por perto é muito maior que a gratidão por tudo o que já vivemos juntos. A angústia de perceber que estamos tão longe do próximo sonho parece ser um sentimento mais forte que a alegria da comemoração daquele que acabamos de realizar. ⠀ Continua um tiquinho nos comentários 👇🏻

19

1

@thebravenewlife 1 month ago

B3uSeXnhFfm Ainda temos algumas folhinhas verdes e umas escapadas traiçoeiras do sol 🙌🏻

40

0

@thebravenewlife 1 month ago

B3rYjwoBego Sabe aquele monte de coisas que todo mundo faz, e portanto parecem normais, mas não são tanto assim? Comportamentos corriqueiros de uma determinada sociedade, mas que causam sofrimento. Pierre Weil deu a essa coisa estranha o nome de “normose”. Faz sentido, é a patologia da normalidade. É quando vivemos num sistema doente, acreditando que aquilo é o “normal” a ponto de defendê-lo. ⠀ É preciso colocar um filtro aí em cima dessa palavra. Podemos estar confundindo “comum” com “normal”. É comum comer comida que não é comida. É comum se comunicar sem nunca de fato falar, ver ou tocar, só por caracteres e figurinhas. É comum ter um corpo pra não usar, passar o dia todo sentado, mexendo só os olhos e os dedos. Tudo isso é comum, mas não necessariamente normal. ⠀ Depressão é comum, burnout, crises de pânico e ansiedade. Mas isso não significa que é como que as coisas deveriam ser. Divórcio é comum, mas não é o resultado esperado para casamento. Assim como bullying para amizade. E tantos outros exemplos estranhos desse nosso mundo. ⠀ Fiquei pensando no que é cotidiano, aceitável e normal pra mim, ainda que seja totalmente bizarro quando explicado para um alienígena. Nossa… quase tudo que eu preciso elaborar em mais de duas frases na verdade. O que me era mais bizarro está dando o trabalho de uma vida para tentar deixar “menos normal”. É mais difícil fazer qualquer coisa fora do sistema, ou da normalidade, não é mesmo? ⠀ O texto de hoje é então um convite a pensar na coisa normal mais surreal que há na sua vida. E se essa normalidade toda parece não fazer mais sentido, fica também um empurrãozinho para tentar deixá-la menos trivial. Já que de perto ninguém é normal mesmo (papo de doido hoje 🤪👌🏻) vale a tentativa. Boa quarta! ⠀ ⠀ Estas reflexões da aula de Virtudes e Forças de Caráter com @gustavo_arns #psicologiapositiva #creativeliving #lifeissimple #avidaqueeupediadeus

25

2

@thebravenewlife 1 month ago

B3omIXXhD9J Selecionando fotos para um post sobre pequenas cidades do interior da Holanda encontrei essas e lembrei porque curtimos tanto Delft. No dia em que fomos estava um frio danado, o sol se escondia da gente e não sabíamos nada sobre o que fazer por lá. Ainda assim ela não decepcionou 😍. Linda! @Giu Vicente

69

0

@thebravenewlife 1 month ago

B3l8pmkhIKB Em algum momento da nossa história separamos razão de emoção. Rompemos com aquilo que não se pode tocar e colocamos ciência e espiritualidade em dois compartimentos separados e antagônicos. E veja que este papo não tem nada a ver com religiosidade. Estamos falando de uma valorização absurda do que é cognitivo, lógico, racional e um tatear na área das emoções, que gostando ou não ocupam boa parte de quem somos. ⠀ O resultado disso são adultos que não sabem nomear o que sentem, tão desconectados que ficam na dúvida se é fome ou raiva. Se é saudade ou amor. Aprendemos química, física, matemática (meu Deus, acho que não me lembro mais de nada 😱), e tão pouco sobre inteligência socioemocional. E é claro que muito pouco se consegue absorver se estamos lidando ao mesmo tempo com nossas emoções mal resolvidas. Imagine uma criança tentando entender o que é gametogênese quando está sofrendo bullying, ainda sem mecanismos para conseguir se comunicar ou se defender. Fica puxado. ⠀ Nós não chegamos como um vaso vazio. Educar é tornar explícito o que já estava lá. É antes de mais nada um processo de autoconhecimento, de descobrimento. É tão comum reprimirmos aspectos fantásticos de ser quem somos os chamando de defeitos. Imagine uma pessoa que pára pra ver o formato das árvores na rua. Que nota ângulos escondidos na arquitetura da cidade. Que percebe beleza num detalhe que passa batido para a maioria. Esta virtude, da transcendência - contemplação do belo, é sensacional. E não só deixa esse alguém mais feliz como o faz melhor numa lista interminável de coisas a se fazer que exigem um olhar mais apurado. Se este cara passar a vida tentando corrigir seu “jeito distraído” ele e nós perderemos muito. ⠀ Educar para fazer florescer nossos traços individuais positivos é uma das faces da Educação Positiva. E é quando penso na forma como educamos as nossas crianças que isso mais me fascina, mas sempre há tempo para quem já virou gente grande também. Há tempo pra gente. ⠀ Estas reflexões da aula de Virtudes e Forças de Caráter com @gustavo_arns Boa segunda! #piscologiapositiva #viastrengths #flourish #educacaopositiva

25

3

@thebravenewlife 1 month ago

B3kQMhXhv4U Este aí é o museu da imagem e som, que fica em Hilversum, uma cidade linda a 30 km de Amsterdam. Chegamos na Dutch Media Week então estava bem badalado. O museu é super interativo, com muitas atrações, especialmente para as crianças. Dá pra fazer show, gravar seu telejornal, editar programa de rádio e um montão de coisas mais. Seria bem mais instrutivo se a gente entendesse alguma coisa de holandês, ou pelo menos soubesse quem eram aquelas celebridades daqui, rsrsrs, mas ainda assim curtimos muito! Vale a visita 😉

23

0

@thebravenewlife 1 month ago

B3hAqmchtR9 E isso pode parecer um tributo a “meia boquice” mas na verdade é uma súplica pelas fantásticas ideias que nunca chegarão a vida por falta de aceitarmos o suficientemente bom. Se pensarmos bem no que a frase significa, na realidade vamos ver que qualquer esforço da nossa parte por concluir algo que nos parece “só ok” já será imensamente melhor do que o nada, já que acabamos por desistir das empreitadas por nunca se enquadrarem no que chamamos de estado da arte (o que é na verdade algo bem subjetivo). ⠀ Se esse argumento (que me parece final) não for bom o suficiente (eita perfeccionismo 🙄) vale dizer que o nosso “só ok” na maioria das vezes está na verdade beirando o “muito bom”, já que precisa passar por nosso cruel crivo e suar um bocado pra ganhar esta classificação mediana. ⠀ O mundo já tem coisas interminadas demais. Como disse Brene Brown, “a caminhada de 20 minutos que eu faço é melhor do que a corrida de 4 km que eu não faço”. A melhoria se faz no processo, depois que as coisas nascem. E não estou dizendo pra terminar de ler aquele livro ruim só porque você começou (aí te apoio, porque tem coisas melhores a se fazer com o tempo), mas para não deixar de terminar qualquer iniciativa que parta da sua paixão, da vontade, do desejo de criar algo, só porque esse algo não lhe pareça bom o suficiente. ⠀ Sempre haverá alguém que o faça melhor, até porque possivelmente o faz há mais tempo. Sempre vamos esbarrar em ideias parecidas e mais cheias de talento. Faz parte. O que você criou medianamente será também o muito melhor para alguém. A questão está só em começar, no feito, não no perfeito. ⠀ Bom sábado! ⠀ #psicologiapositiva #vidareal #creativeliving #creativitytakescourage #avidaqueeupediadeus

43

4

@thebravenewlife 1 month ago

B3efssNh8DR Tem bastante gente que me pergunta: "Mas afinal, sobre o que é esse teu curso?". Acho que um jeito bem fácil de explicar é dizendo que ele é um conteúdo sobre produtividade pra projetos pessoais. Para aquelas coisas que a gente quer muito fazer mas não faz, porque nunca sobra tempo, mas que estão sempre rondando a nossa cabeça. ⠀ Não tem a ver com dobrar a sua renda (só se este foi o seu projeto 🤔), trazer o amor de volta em 7 dias ou qualquer outra coisa que a gente precise tratar na terapia. ⠀ São ferramentas bem mão na massa pra deixar os projetos mais claros e tirar de uma vez por todas a poeira dos sonhos. ⠀ Me faz feliz demais ver que as pessoas que estão fazendo o curso têm realizado mais, não só em quantidade, mas em sentido. Coisas simples, criativas, que dão tesão de fazer! ⠀ Dá uma olhada lá no link da bio pra saber mais 👌🏻😉

101

6

@thebravenewlife 1 month ago

B3cHnioBBWl Ontem passei parte do dia explorando os vídeos da Byron Katie, do The Work. As pessoas levam até ela pensamentos recorrentes, coisas que escolhem acreditar e que só as prejudicam. Coisas que precisam ser recicladas, por assim dizer. Ela é bem direta, irônica as vezes, mas acaba torcendo o que a pessoa trouxe, mostrando que o que parecia culpa dos outros por fim não era. ⠀ Uma frase que ela usou repetidas vezes ficou na minha cabeça: “Who needs God when I have your opinion?”. Ou seja, quem precisa de um juiz imparcial, que reina sobre tudo e tem sempre razão se eu tenho você e a sua opinião? Ou melhor, tenho a mim e a minha opinião. A provocação não tem nada de espiritual ou religioso. É só um lembrete de que não somos donos da verdade. Bom, só mesmo daquela que escolhemos acreditar. ⠀ Gente que diz odiar quem apóia determinado candidato (naquele caso o papo era o Trump), só o faz porque tem certeza absoluta que está certo, e então tudo bem. Ou seja, se eu estou certo tenho passe livre. Quem levou um fora pode dizer que foi abandonado e que o outro é um covarde, porque isso é bem mais favorável do que dizer que o outro está bem mais feliz agora, e eu é que estava sendo egoísta. Ou seja, tudo que nos faz fugir da realidade e nos parece certo, no médio prazo acaba por nos fazer sofrer um tanto mais. ⠀ Confesso que fiquei confusa em vários momentos, porque se eu amo alguém e esse alguém cai fora, tudo o que eu quero pensar é que a minha versão é a justa. Não importam os meios. Mas, respirando fundo… ela tem razão. ⠀ Resumindo bem, para suas crenças mais sem vergonha, faça as seguintes perguntas (e responda muito honestamente, lá na boca do estômago): 1. Isso é verdade? (responda só com sim ou não) 2. Você pode saber com absoluta certeza que isso é verdade? (Sim ou não) 3. O que você sente, como reage, o que acontece, quando você acredita neste pensamento? 4. Quem você seria sem este pensamento? ⠀ Bom, isso é só um tantinho. Todo o conteúdo do está no thework.com. Tenta lá e boa sorte! hahaha 😅

18

2

@thebravenewlife 1 month ago

B3Y3eQ1hFw0 Na última semana o Giu deu uma aulinha sobre o Brasil na sala da Nick. Um jeito muito legal da escola integrar as famílias e as diferentes culturas. Teve Amazônia, Pantanal, Carnaval, Cataratas do Iguaçu, Santos Dumont, turma da Mônica e o pacote completo da terrinha. As crianças ficaram fascinadas com os índios, com os animais da Amazônia, com as praias, as cidades grandes e com o fato da gente falar Português (muitos já tinham ido em Portugal). Mas foram a loucura mesmo quando o Neymar apareceu na tela! Hahaha! E eu que tinha dito pro Giu que jamais crianças de 5 anos da Holanda iam saber quem ele era 🤷🏼‍♀️. E pra fechar com chave de ouro, nossa maior estrela: o brigadeiro! Aí fechou 👌🏻 @Giu Vicente

155

31

@thebravenewlife 1 month ago

B3UFy2yh4EH Quando falamos sobre treinarmos a mente pensamos logo em benefícios como performar melhor, ficarmos focados por mais tempo sem perder a atenção ou aumentar a produtividade. Mas qual de fato será a motivação real por trás de tudo isso. Tanta produtividade pra quê? ⠀ Acho que quando chegamos ao âmago da questão vamos descobrir que ela está sempre relacionada de alguma forma às conexões e relacionamentos. Queremos usar o tempo melhor ou ter mais tempo para fazer coisas que nos trazem ganhos emocionais grandes, para estar perto de quem queremos. Ou quem sabe mais dinheiro para usufruir da vida com elas. Para ser aceito, querido. ⠀ No começo do filme Comer, Rezar e Amar a protagonista conta uma história sobre sua amiga Débora, psicóloga que foi convidada pelo governo da Filadélfia a participar de um programa de ajuda a refugiados. Ela estava intimidada com a tarefa. Essas pessoas haviam sofrido genocídio, fome, viveram anos em campos de refugiados. Como ela poderia se conectar com o sofrimento deles? Como ajudar essas pessoas? Mas adivinha sobre o que eles queriam conversar? Sobre alguém que haviam conhecido no barco, e como achavam que se amavam, mas depois ele se casou com uma prima e por aí vai. Somos seres gregários, desesperados por conexão. ⠀ A pergunta que fica para essas nossas vontades (de sermos mais, melhores, mais produtivos) é sempre: pra quê? Qual a motivação por trás disso? ⠀ Descobri que a minha motivação de levar uma vida mais leve estava sendo perseguida através de uma busca incessante por produtividade. Contraditório, né? Descobrir a raiz das nossas motivações é sempre o mais difícil, o tal do propósito por trás das coisas. E como ele muda, ficamos correndo atrás do danado boa parte do tempo. Mas entendê-lo também nos faz aliviar de um tanto de coisa que nos ocupava a mente sem porquê. ⠀ Que nesse comecinho de semana possamos nos perguntar este “pra quê” algumas vezes e soltar um pouco da carga que estávamos levando à toa pela vida. Boa segunda! 🙌🏻😌

21

1

@thebravenewlife 2 months ago

B3PdHf8IYw_ A gente ❤️

117

1

@thebravenewlife 2 months ago

B3MdouABCEv O perfeccionismo não faz apenas com o que o trabalho não seja concluído. Ele muita vezes impede que o trabalho comece. Já pensou nisso? O perfeccionismo nada mais é que o medo de salto alto. É uma angústia existencial que nos diz, de novo e de novo, que não somos bons o suficiente. É muito mais corajoso continuar no jogo, estar na arena, do que estar paralisado pelo medo da crítica. Ou deixar de participar para não lidar com a nossa sensibilidade delicada. ⠀ Este texto aí em cima é uma colagem de partes do livro Big Magic e traz um novo olhar sobre essa coisa que costumávamos citar as entrevistas de emprego como nosso ponto fraco - escancaradamente esperando que fosse visto como uma das nossas maiores virtudes. ⠀ Fazer o que é possível hoje, com o que eu tenho e posso é mais do que suficiente. É fantástico! É estar na arena, nu e abanando pra galera. E se você estiver assim também irá sem dúvida acenar de volta. ⠀ Boa sexta! ⠀ ⠀ #creativeliving #avidaqueeupediadeus

27

0

@thebravenewlife 2 months ago

B3KUptdhWg0 Site novo dos cursos está no ar! 🙌🏻 Ficou LINDÃO 😍⠀⠀⠀ Cada PRODUTÃO 👌🏻⠀⠀ E que trabalheira criar toda essa COMUNICAÇÃO 😅 Mas ter marido em casa entendido de tecnologia é TUDIBÃO 🙃 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Brigada MOZÃO 😚 @giuvicente Acessa lá! O link tá na bio :)

36

3

@thebravenewlife 2 months ago

B3ITt_HhLIz Será que dá pra falar sempre a verdade? Acho que não, não dá mesmo... Não estou falando em mentir para enganar ou prejudicar o outro, claro. Ou só pra falar o que o outro quer ouvir. E sei que algumas verdades, mesmo que bem difíceis, eventualmente precisam ser ditas. Remédio amargo, mas necessário para nos salvar de coisas bem piores. ⠀ Mas eu acho mesmo que algumas mentiras bem intencionadas são perdoadas lá no céu. Imagine que você foi convidado para um jantar, o anfitrião se esforçou ao máximo e você não gostou da comida. O que você vai responder quando vier aquela pergunta: “E então? O que achou?”. Olhinhos do gato do Shrek do outro lado… 🤤 ⠀ E quando o seu amigo que está com a autoestima lá no chinelo, se esforçando na dieta pergunta pra você: “Já tá dando pra perceber que eu perdi uns quilinhos?” 😐 ⠀ Amigo é aquele que fala a verdade quando todos os outros disfarçam. Mas também pode ser aquele que sabe o quanto podemos suportar. E que a verdade do outro é do OUTRO. Cada um que cuide e revele a sua. E se a verdade cruel precisar muito ser dita, que tenha a ponta da sua seta afiada molhada no mel. Se formos errar, que seja por amor. Por menos corações partidos 👊🏻💔. ⠀ ⠀Reflexões da aula Poder da Gratidão com professor @LeandroKarnal.

25

6

@thebravenewlife 2 months ago

B3E4_DCIyz- Slow Saturday 📸@warmling15 @Giu Vicente

43

0

@thebravenewlife 2 months ago

B3CDhKfBvEn Por mais excitante e glamuroso que um sonho possa parecer no início, ele sempre vem com a sua dose de “shit sandwich” (isso mesmo 🥪💩, e eu estou colocando o termo aqui em inglês só para ficar mais fofo ou menos grosseiro mesmo). ⠀ Este é um dos pensamentos do livro Big Magic, minha leitura que vem e vai. A autora cita Mark Manson neste trecho, falando sobre como tudo tem seus efeitos colaterais e um grande potencial de encher o saco depois de um tempo. Você só precisa decidir com que tipo de chatice você está disposto a lidar. ⠀ Ela argumenta que se você quer ser um artista de qualquer tipo, terá que se acostumar a ter seu trabalho rejeitado centenas de vezes. Se você quer ser um advogado mas não gosta de leituras ou de estar oito horas por dia num escritório, então há más notícias para você. Se você quer ser mãe irá suportar os enjoos matinais. Se quer ser um ministro não irá se importar em ouvir os problemas dos outros o dia todo. ⠀ Se você realmente ama alguma coisa o suficiente, o que quer que seja, estará disposto a comer o “shit sandwich” que vem com ela. Se você ama viajar irá correr o risco de ter a carteira roubada em algum trem. E por aí vai. ⠀ Liz queria tanto ser escritora que ao ouvir um amigo não publicado (na época os dois eram) reclamar sem parar da sua situação ela perguntou, apontando imaginariamente para o “shit sandwich” dele: “Are you gonna finish that?”. Este era o tanto que ela queria ser escritora. Ela comeria o shit sandwich de outra pessoa, se isso significasse mais tempo escrevendo. ⠀ É isso aí! E sabe que eu tava até ansiosa pela segunda-feira para começar comer o meu? Hahahah! Boa semanaaa!!! ⠀ ⠀ #creativeliving #bigmagic #psicologiapositiva #avidaqueeuepediadeus

25

2

@thebravenewlife 2 months ago

B2__IRdhacD Último post sobre o Caminho de Santiago, este com infos práticas para quem quiser se aventurar. Não tem tudo sobre o caminho, mas tudo sobre o que eu escolhi fazer, e se você simpatizar com a ideia o que tem ali vai te poupar um tempão (MESMO!). O link tá na bio 👆🏻. ⠀ ⠀ 🚶🏽‍♀️🤟🏻😌 #caminhodesantiago #trip #nocaminho

33

1

@thebravenewlife 2 months ago

B29zzsOhgC7 Se achamos defeito em tudo, acabamos ficando muito bons nisso. É por isso que a gratidão é um treinamento cerebral. Precisa de repetição. ⠀ Nosso cérebro foi criado para mapear riscos, para nos manter vivos. E é por isso que pensamos sempre nos piores cenários. Preservação da espécie, evolução. Acontece que esse mecanismo funciona muito bem também para quando não há um leão tentando nos comer. Onde nada nos ameaça. A não ser nosso medo de tentar algo diferente. ⠀ Para mudar essa chave é preciso treinar essa nossa cabecinha para pensar diferente. Não sei se tão drasticamente como no Jogo do Contente, da Pollyanna - algo como “se você tem um calo alegre-se, quer dizer que você tem sapatos” - porque é um saco ter calos, não dá pra andar - mas algo mais meio termo. ⠀ Pensar nas coisas ruins como não permanentes (o contrário de “isso vai durar pra sempre”), contagiosas (não o: “vai se espalhar por todas as áreas da minha vida”) e pessoais (nada de: “a culpa é toda minha”) é um exercício diário de otimismo. ⠀ A gente fica muito bom no que repete. Isso se chama hábito. A boa notícia é que um hábito pode ser que quebrado e outros podem ser aprendidos. A outra notícia é que é preciso mesmo querer, porque dá trabalho 😅. ⠀ ⠀ Reflexões da aula Poder da Gratidão com professor @LeandroKarnal e livro “Felicidade Autêntica” de Martin Seligman. #gratidao #mastermind #felicidadeautentica #psicologiapositiva #avidaqueeupediadeus

40

0

@thebravenewlife 2 months ago

B26hqiHhmxp A nossa petit é tão petit que a gente só percebe que cresceu vendo as fotos. As roupas mudam bem pouco e são usadas quase até se desintegrarem rsrsrs. #5anos

74

2

@thebravenewlife 2 months ago

B23dSBEhKsk Quando ouvi pela primeira vez essa frase, há mais de um ano atrás, ela não falou comigo tão alto quanto agora. Não tinha entendido na real o que ela queria dizer. Pensava que para ter a vida que queremos e alcançar as coisas com as quais sonhamos precisaríamos abrir mão de outras coisas, fazer escolhas, e até aí tudo bem. Inclusive não só de coisas que no fundo já queríamos abrir mão (de um trabalho chato, de eventos que não queríamos ir de toda forma), mas de coisas que gostamos mesmo! Deixar de ver pessoas que amamos, de se perder fazendo aquilo nos fazem bem. Tudo por um tempo e em prol de uma causa maior. ⠀ Mas o que me fez pensar agora é a parte sobre a vida que gente finge querer. Putz… isso é tão verdade pra mim. Ao pensar numa vida idealizada me imagino de um jeito que eu não conseguiria aguentar. Que não tem nada a ver comigo e acho que na real seria a maior chatice. Uma vida com tudo no lugar. Acho que eu nem sou aquela pessoa que protagoniza o sonho. Deve ser alguém que eu vi na TV. ⠀ A gente quer ser o bilionário que teve uma ideia e criou algo fantástico, mas não quer ser o cara que passa os dias em reuniões chatas, brigando pelo que acredita, zerado no banco, madrugada afora durante anos fazendo mais do que os outros. A gente quer escrever um livro mas não quer passar duas décadas fazendo a pesquisa. A gente quer aquele corpão mara mas não quer comer batata doce e frango. ⠀ Na real a gente não quer nenhuma dessas vidas. NÃO QUER. Se quisesse teríamos, porque a motivação que empurra cada um deles não fica quieta até ser saciada. Não estou falando aqui de pouca disciplina, preguiça ou falta de vergonha mesmo para ser aquilo que fomos criados para ser. Estou falando de aceitar que a vida que temos foi a que escolhemos, e é aquela que nos satisfaz. ⠀ Do que você está disposto a desistir para ter a vida que você continua fingindo querer? Eu acho que de mais nada. Tá ótimo assim. Fecha a conta e passa a régua. ⠀ ⠀ @elizabeth_gilbert_writer #vidaintecional #avidaqueeupediadeus

24

1

@thebravenewlife 2 months ago

B2y7lgvB4xq Mulheres / mães (atuais ou futuras) desse mundo: venho pedir a sua opinião. Tenho escrito bastante coisa a respeito da maternidade, mas essencialmente sobre como sermos “gente” no meio disso tudo. Sobre o feminino, o tempo, nossas carreiras, o amor, a saudade. Muita coisa já está publicada no blog, mas outras fazem sentido só ali, dentro deste relato sobre nós e nossas crias. Já vi tanto este conteúdo que estou cega para boa parte dele. A cada leitura quero sacudi-lo todo pra ver o que cai e começar do zero outra vez. Por isso procuro por leitoras que possam curtir este tema e queiram me presentear com opiniões sinceras. Se você tem interesse me mande uma mensagem no privado para que eu possa compartilhá-lo com você. ⠀ Não é preciso ler o livro todo, claro. Até porque a parte onde você parar já me dará uma boa dica de onde melhorar (hahah). Mas se a leitura for bacana pra você, para mim já estará valendo. Meu sonho é transformar estas reflexões em um projeto de apoio a mães-solo. E como todo sonho que se sonha junto é mais bacana, fica aqui meu convite. Brigaduuu!! 😌 ⠀ ⠀ #maternidade #creativeliving #parenting #generosidade #avidaqueeupediadeus

21

2

@thebravenewlife 2 months ago

B2y5eJcBNEp Certa feita um homem dirigia na contramão de uma grande rodovia. Centenas de motoristas iam buzinando e desviando enquanto ele pilotava decidido no sentido oposto. Abismado com a falta de senso deste mundo ele decide ligar o rádio. O radialista avisa em tom alarmante: “Tem um louco dirigindo na contramão na rodovia mais movimentada do estado!”. “UM NÃO” - ele responde indignado - “CENTENAS!!”. ⠀ Às vezes somos nós este cara bizarro. Dizendo que o mundo está perdido, que só tem doido por aí, que de perto ninguém é normal. Vez ou outra somos nós na contramão. Achando todo mundo chato e agradecendo a Deus por ter dado somente a nós tamanha sabedoria. hahahah! ⠀ Os insuportáveis são sempre os outros. Nós somos uma delícia! Às vezes o jeito mais fácil de nos tocarmos é rindo da gente mesmo. Nos flagrando na contramão. Quem nunca? ⠀ ⠀ Reflexões da aula Poder da Gratidão com professor @LeandroKarnal. #empatia #selfawareness #rindodemimmesma #avidaqueuepediadeus

28

2

@thebravenewlife 2 months ago

B2vvK4qIVMM @flow_magazine 💜

30

0

@thebravenewlife 2 months ago

B2t8BOQoIYO Ontem eu realizei mais um sonho: ouvi pessoalmente @elizabeth_gilbert_writer falar. Adoro lê-la, ouvi-la, e de uma forma estranha tudo o que ela fala mexe comigo, me emociona. Ontem ela me balançou de novo (várias vezes), quando falou da perda de Rayya, o amor da sua vida. Ela só assumiu o que sentia quando descobriram que Rayya teria só mais 6 meses de vida. Elas se casaram e viveram este tempo juntas com tudo o que pode parecer impossível numa situação assim. ⠀ Falando sobre a perda ela disse que a frase que tanto ouvimos de que de alguma forma aquela pessoa estará sempre conosco é verdade. Quando a perda é eminente tentamos estudar o outro, memorizar seu rosto, gravar suas palavras. E isso segue conosco de alguma forma. Mas o lado cruel e real da morte é o de que aquela pessoa nunca mais estará conosco. “Ela nunca mais entrará por aquela porta, nunca mais poderei abraçá-la” - ela disse. “Isso é literalmente a morte. Ela se foi”. ⠀ E nessa falta o que fica do outro é uma tentativa de sermos para nós mesmos o que a outra pessoa seria. Nos tratarmos com o mesmo amor. Mentalmente responder o que o outro responderia. E de verdade acreditar. Ser abraçado, confortado, acolhido, tudo isso estando só, fazendo para si mesmo o que nossa pessoa preferida em todo o mundo faria. ⠀ Chorei em pensar nessa possibilidade. Não sei se conseguiria ser este abraço quente. Esse olhar que me conforta, que não precisa me dizer mais nada, porque sei que independente do que aconteça com ele tudo ficará bem. Talvez isso nem seja possível. Mas talvez não tenhamos outra alternativa quando se vai justamente aquele alguém que sabemos não conseguir viver sem. Precisaremos ser ele ou ela para nós. Não consigo nem imaginar me amando assim. ⠀ E se temos ainda estes “alguéns” por aqui - que nos fazem sentir em casa, que falam exatamente o que precisamos ouvir, que nos amam independente de nós mesmos - então que possamos falar tudo isso. O implícito não é suficiente. Dizer não só o “eu te amo”, mas o pacote completo. Sobre o quanto esse cuidado faz diferença. O quanto nos nutre, nos sustenta, nos faz feliz. Que agradecemos cada minuto. ⠀ Um domingo apaixonado (e declarado) para todos nós ❤️.

68

4

@thebravenewlife 2 months ago

B2oHlWro3aF Essa semana a Aurorinha, melhor amiga da Nick no Brasil veio pra matar as saudades. No tempo que passamos juntos, não importava onde estivéssemos, mal víamos as duas, de tanto que brincaram. Cada uma ficou com a metade de um coração no pescoço pra lembrar dessa amizade gostosa e nós com o coração cheio de felicidade por vê-las assim 💜💜. Que essa amizade de "xêmeas" e muitos tons cor de rosa dure a vida toda. Amamos vcs! @Marcelle Stähelin

142

5

@thebravenewlife 2 months ago

B2lmA3vBdQz Nada mais irritante do que ver alguém fazendo facilmente aquilo que nos custa muito. Feliz logo cedo quando acordamos cheios de mal humor. Cabendo numa calça 34 ou conhecendo lugares que nem sonhamos em um dia estar. Os outros são espelhos dos nossos medos e fracassos. E aí vem dois bichinhos verdes: a cobiça e a inveja. Mas cabe aqui uma distinção, já que um é mais “verdinho” que o outro. ⠀ 🐍 Cobiça é desejo ardente por algo, que pode ser que o outro tem. Quando em excesso (como tudo aliás) faz mal, mas pode ser ser positiva. Posso cobiçar o empenho de alguém em aprender outra língua, por exemplo, e querer ser assim também. Procurar a mesma escola, replicar algum comportamento. ⠀ 🐍🐍 Inveja é outra coisa, e será sempre negativa. Inveja é tristeza pela felicidade alheia. É desgosto causado pela conquista do outro. Na inveja não necessariamente queremos o que o outro tem, só nos contorcemos pelo “porquê” o outro tem. É um dos sentimentos mais medonhos a se experimentar. Sentir dor pela felicidade do outro. ⠀ Que vergonha! Mas quem nunca sentiu? Faz parte de ser humano. E ainda que possa ser comum não nos faz bem. Uma saída mais saudável, por assim dizer, é sempre que a inveja bater trocar por uma ambição positiva. Se é que aquilo que o outro tem realmente nos cai bem. Fazemos um favor ao outro (economia de olho gordo e banho de sal grosso) e a nós mesmos, que no final das contas somos os maiores prejudicados. Ficamos com uma cara horrorosa quando o coração se enche de inveja. Consideremos assim um facelift econômico e bem eficiente. Fica bem no rosto e no coração. ⠀ ⠀ Reflexões da aula Poder da Gratidão com professor @LeandroKarnal. #piscologiapositiva #somostodosiguais #avidaqueeupediadeus

43

3

@thebravenewlife 2 months ago

B2iyguoolBX Semana passada o Giu levou o Théo para cortar o cabelo aqui. O cabeleireiro não falava inglês e todas as instruções basicamente foram: "shorter?" 🤔 "Yep", o Giu respondeu👌🏻⠀ Até porque, como diria um amigo nosso, "longer" não dava rsrsrs. ⠀ #maedemenino #meuguri

116

12

@thebravenewlife 2 months ago

B2gdZwvBhs2 Escutei essa frase ou algo similar no resumocast do livro "A Riqueza da Vida Simples", do Gustavo Cerbasi. Eu sei que o que a gente valoriza e o que de fato fazemos está sempre em contradição. E que ter em abundância coisas como tempo, saúde e pessoas queridas por perto será meio universal. Mas vamos dar um senso prático a este pensamento. ⠀ Imagine que você adore cozinhar. Sua paixão é culinária e você gosta de receber. Isso lhe é valioso. Assim, faz sentido montar na sua casa uma super cozinha, com todos os equipamentos caros que você precisa pra fazer o que gosta. Afinal, você está ali o tempo todo. ⠀ Isso parece fazer sentido. O que não faz muito seria comprar uma raquete de tênis porque você jogou uma vez num hotel onde passou um verão, ter um berimbau na sala pra decorar, um carro parecido com os carros dos outros pais da escola do seu filho e uma coleção de sapatos que dóem o pé. Esses últimos exemplos são coisas que temos por falta de controle, carência, empolgação ou desejo de se encaixar numa realidade que não nos serve de fato. E todos eles drenam recursos de tempo e dinheiro que poderiam ser usados a serviço do que nos traz alegria. ⠀ Ter em abundância aquilo que nos é valioso requer pensar mais longamente sobre as escolhas da vida (em que casa escolhemos morar, como gastamos nossas horas, com quem escolhemos estar, etc) e ter coragem para agir sobre o que não funciona depois de descobrir o que nos move. Fazer escolhas, abrir mão. Um pouco de desprendimento também sempre cai bem para nos livrar dos julgamentos e olhares que certamente virão junto com as escolhas. ⠀ Morar numa casa mais simples pra sobrar mais no final do mês pra passear? Pode parecer um passo atrás, mas pode também ser bem libertador se livrar de uma coleção de carnês. Vida orçamento base zero. ⠀ Chame essas descobertas de propósito, gosto ou do que quer que seja. Mas pensar no que nos faz bem e o que nos é valioso é a lição número um de uma vida boa. E vale dizer que essa “coisa” não é estática, já que a vida muda, somos feitos de fases. ⠀ Desejo um dia cheio do que é valioso para você! 🧐👌🏻❤️ Boa terça! ⠀ Reflexões do livro A Riqueza da Vida Simples, Gustavo Cerbasi.

51

3

@thebravenewlife 2 months ago

B2b2-tPBlyz Segundo texto sobre o Caminho, sobre como foi a experiência por lá. A intenção não era pensar demais, mas não teve jeito e acabei pensando 10 coisas rsrsrs. O link está na bio - Nas passadas 🚶🏼‍♀️. Espero que curtam 🤞🏻🙃.

31

0

@thebravenewlife 2 months ago

B2bImdihBOX Quando se é criança é normal imaginar o mundo e tudo que acontece nele a seu serviço. Tudo é por mim e para mim. Ainda não está clara a separação entre o “eu” e os outros. O problema é quando essa percepção segue pela vida. ⠀ Podemos imaginar adultos autocentrados, autorreferentes como grandes crianças mimadas, egocêntricas, egoístas, narcisistas. A verdade é que a coisa é bem mais corriqueira do que tudo isso. Dá pra nos ver assim quando soltamos frases como “bem na minha vez tal coisa acabou”, “só porque eu saí sem guarda-chuva hoje choveu”, “fulano tava com uma cara fechada hoje… acho que ele não gosta de mim”. Sim… tudo isso acontece por e para você. 😒 Inclusive a meteorologia se organiza conforme a sua posse ou não do guarda-chuva. ⠀ Um teste muito simples de tudo isso é chegar para outra pessoa (serve muito bem para cônjuges e colegas no trabalho) e dizer: “Nossa, estou tão cansado hoje”. O que ouviremos como resposta em 99,99% das vezes? Seria algo como - “É mesmo? O que houve?” - Claaaaaro que não! O que ouviremos, com toda certeza do mundo, será: “Eu também”. ⠀ Eu tinha um amigo assim. Me divertia vendo a competição de desgraças que ele sempre colocava em pé. Se eu dissesse - “nossa, tô com uma dor na perna”, ele diria - “Meu Deus, eu eu então? Acho que vou ter que acabar amputando a minha”. hahaha! Isso era para tudo. ⠀ Humildade não é se fazer menos, isso é autodepreciação, baixa autoestima ou às vezes até mesmo depressão. Também não é pensar mais de si, ver-se sempre melhor ou acima dos outros. Isso é sem dúvida uma visão pequena e distorcida. Humildade é entender que somos todos iguais, e assim, enxergar o outro para além de si mesmo. Ver mais que o próprio umbigo. Escutar sem pensar na resposta que trará algum fato curioso sobre a sua própria existência e não sobre o que o outro estava dizendo. ⠀ A palavra humildade vem do grego “Humus”, que significa “terra”, mesmo vocábulo que deu origem aos termos “homens” e “humanidade”. Nascidos da terra, todos feitos da mesma matéria, vindos do mesmo lugar, para onde voltaremos um dia. Igualzinhos assim 🤗. ⠀ Bom domingo! ⠀ Reflexões da aula Poder da Gratidão com o professor @leandro_karnal.

126

10

@thebravenewlife 2 months ago

B2ZTJHoo1o8 Mais um freela daqueles bons demais! A Lu da @Luana Fonseca é uma querida e um daqueles presentes que a gente encontra. A marca Alma pelo Mundo já tinha uma história, contando as andanças da Lu e do Marcelo pelo mundo. Agora era o momento de fazer uma transição entre a exploradora e a que convida a explorar. Com uma nova oferta, passamos a olhar para os valores dessa marca em transformação. Vimos como eles se entrelaçam com os valores da própria Lu (reflexão muito comum entre quem presta um serviço) e como se expressavam na oferta. ⠀ Era fundamental manter a pegada exploradora, de quem não sabe o que vai encontrar, corajosa, pé na estrada. Mas agora o convite era para um explorar de si mesmo. Leveza era outra característica importante, simples, alegre, e com as cores quentes que vemos em todas as expressões da Lu pelo mundo. Humilde, numa postura de serviço, da empatia de quem se faz sempre aprendiz. E por fim, transitória, fluida, volátil, que se deixa conduzir pelo vento. ⠀ Para representar tudo isso, nada melhor que a mais humilde das flores: o dente de leão. Nasce no campo, é livre, etéreo, sai voando por aí sem saber onde vai plantar suas novas flores. E apesar de tão simplório sempre nos cativa, nos lembra como era ser criança. Sentimento difícil de explicar. E foi assim, com tantos significados que se entrelaçam com a história da Lu (e com desejos que ela lançou ao vento há algum tempo atrás) que nasceu a nova marca da Alma pelo Mundo. Sou suspeita pra falar, mas os materiais estão lindos!! 😍 Delicados, cheios de cor, de vida! Não vejo a hora de ver todos estes filhotes de dente de leão voando por aí. 👶🏼❤️ ⠀ Se quiser saber mais sobre essa história dá uma olhada no stories (olha o trocadalho!! ☺️). Super obrigada Lu! E todo o sucesso do mundo nessa nova fase! 🍀🍀🍀

34

1

@thebravenewlife 2 months ago

B2WMD2zhIyu Essa semana tive o privilégio de assistir uma aula sobre Gratidão com o professor @leandro_karnal. Como sempre ele traz o assunto de um jeito bem pragmático e achei interessante o jeitão com que ele tratou deste tema de potencial tão açucarado. ⠀ A gratidão tem mesmo uma série de benefícios para a saúde já comprovados. Mas é comum que quando se pense no tema a gente imagine algumas frases de parachoque de caminhão ou alguém acordando e saudando o sol. Que, como ele lembra “é uma estrela, que emite energia luminosa térmica mediante explosões nucleares” e que continuará a fazê-lo independente de quantas vezes o agradecermos. ⠀ Há contudo uma forma de dar a esta intenção melhor uso: sendo grato ao outro. A uma parte das milhões de pessoas que dividem este mundão conosco. E as 4 formas que ele traz para isso são tão primárias como brilhantes. Elas partem da etiqueta (ou pequena ética) e têm em comum a percepção do outro. Olha aí as 4 palavrinhas mágicas que aprendemos no primário repaginadas nas palavras do professor: ⠀ 1. Por favor: quando digo por favor estou o reconhecendo como um ser autônomo, que não tem obrigação de fazer nada para mim. Você é livre, e se fizer algo para mim será um gesto extraordinário, e eu vou lhe agradecer com sinceridade. ⠀ 2. Com licença: reconheço que não sou o único corpo no planeta terra. Peço licença ao reconhecer que você tem o mesmo direito de estar aqui que eu. ⠀ 3. Muito obrigado: porque você fez algo para mim, e o fez livremente. E mesmo que esta fosse a sua obrigação profissional, por exemplo, você fez para MIM. Eu recebi algo. E precisando ou não, eu agradeço. ⠀ 4. Desculpe-me: significa que eu sou um humano falho, eu erro constantemente, e isso nos define, é próprio da espécie humana. Quando aceito suas desculpas reconheço também que pertencemos à mesma espécie, que sou humano como você. ⠀ Continua nos comentários 👇🏻

33

10

@thebravenewlife 2 months ago

B2TkmgrBlFq Mas é claro que logo iam chegar posts sobre o Caminho! 🤓 Mas juro que são só três! E já que dizem que o caminho começa bem antes de começar de verdade, este primeiro é sobre isso. Sobre o Joey, as loucuras que colocamos na cabeça e sobre como elas escolhem ficar. O link está ali na bio 👌. ⠀ ⠀ #caminhodesantiago #santiagodecompostela #elcamino #sonhos #avidaqueeupediadeus

58

0

@thebravenewlife 2 months ago

B2PFGSZBPu_ Uma frase andava se repetindo na minha cabeça cada vez que me olhava: "esse corpo não é meu". Acho que essa nem é a minha pior forma mas a falta de cuidado do último ano me fazia não gostar nem um pouco do que eu via. Como um bloqueio, eu me dizia que essa não era eu, que eu não aceitava esse corpo e que logo tudo isso que não me caía bem iria embora. Eu o arrancaria à força. ⠀ Caminhando, contudo, senti uma enorme gratidão por esse corpo que me acompanha. Ele e eu somos um só afinal, e a verdade é que eu não tenho o tratado bem. Ele me levou por duas gestações maravilhosas, me suportou quando eu apertei todos os botões de ansiedade que o judiavam, ele aguentou o tranco durante tantos anos da minha infância e adolescência com púrpura, ele fez muito mais do que eu achei que poderia. ⠀ Como eu pude rejeitá-lo depois de tudo o que a gente viveu, do jeito mais cruel possível, dizendo que ele não era meu? ⠀ Lembrei de tantas vezes que falando com outras mulheres nos diminuímos. Apontamos partes de que não gostamos, e sabemos ser cruéis nos adjetivos, de um jeito que não ousaríamos falar dos outros. A outra sabe que isso tudo é só um código pra dizer algo como "Imagina! Você está ótima!". As duas estão mentindo, claro, mas nos parece mais sensato seguir assim do que de fato gostar do que vemos. Acho que isso é bem mais do universo feminino que do sexo oposto. ⠀ Sonhamos para as nossas filhas vidas mais desprendidas, cheias de amor próprio, de aceitação, de não precisar se moldar mas se afirmar independente do olhar do outro. Fazemos isso ao mesmo tempo que reclamamos em alta voz da nossa própria aparência e soltamos frases tristes nos diminuindo, ainda que cheias de humor (tem que dar uma aliviada né?). Elas aprendem conosco assim. Ter filhos deixa tudo mais desafiador ou ao menos nos dá um motivo nobre para sermos o que achamos que deveríamos. ⠀ Este corpo é meu sim, pensei afinal. "E me desculpe pelo descaso! Eu o agradeço de todo o coração. E prometo cuidar mais de nós", com todas as imperfeições que vou aprendendo a amar. ⠀ #selflove #gratidao #autoimagem #psicologiapositiva #nocaminho #avidaqueeupediadeus

33

10

@thebravenewlife 2 months ago

B2JLnhSoB4r I didn't know that I was starving till I tasted you ❤️ ❤️ ❤️ Faz 5 anos você que você chegou! Agradeço a Deus todos os dias por ter nos confiado você. Oro para que continue a crescer com saúde, na Sua graça. Não teve um único dia nestes cinco anos que não desejei sua felicidade, que se sentisse segura, amada e alegre para descobrir a vida. You rock my world!! Muito feliz por você meu amor, que alegria é ser sua mãe. Te amo!

76

3

@thebravenewlife 3 months ago

B2AF0mUomff 205.528 passos depois, um pouco do dia de hoje ⛪🚶🏼‍♀️🙏🏻🎉

80

4

@thebravenewlife 3 months ago

B1_tEdbo9gO 116 km depois aqui estou! Grata a Deus pela paciência e cuidado com meus sonhos ❤️🙏🏻

118

10

@thebravenewlife 3 months ago

B19GTyIoULr Meu Deus, hoje foi difícil 😓 Quase lá 🙏🏻

52

10